quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Ombro-amigo

Sua vida havia virado um inferno. Essa era a unica explicação que a jovem conseguia dar à suas amigas, que perguntavam o por que de todo aquele choro. Não adiantava nada, suas amigas faziam carinhos em seus belos cabelos cacheados, elogiavam-a para que se sentisse melhor, tentavam tomar suas dores e xingavam todo e qualquer possível responsável pela infelicidade dela. Nada. A jovem continuava aos prantos e continuava sem conseguir se explicar melhor que: "minha vida se tornou um inferno!" Já sem ideias de como acalmar a garota e perdendo também um pouco da paciência pelo fato de ela não se expressar melhor, as amigas foram perdendo as esperanças de ajudá-la. Então todas se calaram de repente assustadas, ou melhor, surpresas com quem viam ali. Aquele silêncio chamou a atenção da jovem que separou sua cabeça de seus joelhos, aos quais abraçava com toda sua força, e levantou seu olhar para averiguar quando se deu de frente para com um rosto familiar. Era um rapaz de sua classe, ninguém mau, mas ninguém que esperasse ver naquele momento. Um rapaz que nunca escondera sua frieza, nunca amara ninguém de fora de sua família e agora estava ali se pondo a ajudar uma mera conhecida em momento de tristeza. Ela não entendeu muito bem mas antes que ela disse-se alguma coisa ele pôs a mão sua face de forma surpreendentemente suave, e sem perguntar o que houve sem exigir dela que se expressa-se sorriu e disse:"sabe, você ta ainda mais bonita agora que parou de chorar". A jovem riu e enquanto ria percebeu que era verdade, ela não chorava mais. Preocupada em entender o que ele estava fazendo ali, ela por alguns instantes tinha esquecido de seus problemas e antes que ela pudesse lembrar ele a fez rir. Então ele disse:"Pra que tanto riso? Só porque eu disse que você está mais bonita sem chorar não quer dizer que você tem que se exibir." E ela emendou as risadas, não dando tempo aos problemas que voltassem. Aproveitando o bom momento o rapaz pediu a ela que se levantasse estendo-a a mão gentilmente. Assim que ela levantou com sua ajuda, ele a abraçou sussurrando "vem ca" e com força e sutileza igualmente espantosas. Ela se assustou por estar sendo abraçada por um conhecido tão "não próximo" mas não conseguiu resistir, fechou os olhos e aproveitou aquele abraço. As amigas não entenderam nada, como elas que perguntaram tudo que podiam, que falaram as mais belas palavras e os mais belos juramentos de amizade não conseguiram em mais de meia hora o que ele conseguiu em menos de um minuto? Não percebiam que se preocuparam em tentar parecer boas amigas, para que ela não se sentisse só, ou em entender o que estava ocorrendo, nada disso era necessário. Ela não queria ser entendida ou acompanhada. Só queria se sentir melhor. E foi exatamente isso que o, antes julgado como frio, rapaz fez. Ele a fez se distanciar dos problemas por tempo suficiente para que ela se sentisse um pouco melhor. Como? Com o melhor remédio para todo rosto triste, uma boa risada. Então o menino pergunta, bem baixinho: "já se sente melhor?" E ela respondeu: "sim, mas por favor não me solte ainda." Ele não disse mais nada, apenas atendeu ao pedido. Após algo próximo a 3 minutos de abraço, ela vê que todas as amigas haviam ido e pergunta a ele: "por que o seu abraço é tão gostoso?" Ele dá uma risadinha de canto de boca e responde: "Eu tenho uma teoria..." E vai-se a explicar a seguinte teoria:"acredito que Deus faz a todos nós com um "pacote" de qualidades, afinal todo ser humano tem algumas coisas boas em si. Mas acredito também que ele não fez isso comigo, resolveu que eu seria diferente. Como você deve ter ouvido ou percebido, sou uma pessoa fria, logo não muito amorosa delicada ou gentil na maior parte do tempo. Também pode ver que não sou nenhum modelo, digo-lhe também que não tenho uma inteligência de alguém super-dotado ou algo assim. Pois bem, Deus decidiu que eu não teria nada disso, que eu teria uma e apenas uma qualidade. Mas obviamente não quis ser injusto comigo, então decidiu que seria a melhor de todas, a qualidade das qualidades. Deus me tornou então o melhor suporte que todo e qualquer ser humano que me conhecesse teria em toda sua vida". Terminada a louca teoria a menina mais uma vez se pôs a rir, uma risada pura e ainda mais alegre, pois ela percebera que tinha ganho um poderoso suporte para quando se sentisse desmoronar. Mais que isso, o melhor suporte de todos, mais que isso, um amigo. E se despediu sabendo que seus problemas não tinham sumido mas que, sentindo-se melhor, poderia enfrentá-los e que podia contar com um novo amigo. Não só um amigo, mais que isso, seu melhor e mais novo ombro-amigo.

4 comentários:

Bruno disse...

Cara, ficou muito bom o texto. Estou sem palavras. Adorei *-*

Anônimo disse...

vitor e Bruno, muito legal descobrir esse espaço aqui. Valeu pelo toque, vitor! Serei um seguidor atento e sorrateiro desse mendigo.

Aí segue o intercâmbio de idéias: www.myspace.com/elefecto

Um abraço!

Tomás

Alyne Bittencourt disse...

Nossa, adorei *-*

mia disse...

Muito bom! Voltarei mais vezes :)